Envie seu causo aqui

**Escreva seu causo nos comentários deste post** 
A moderação irá apagar o comentário e postar como Artigo.


♦ NÃO COMENTEM OS CAUSOS AQUI antes de serem postados;

♦ INVENTEM E MANTENHAM UM APELIDO, de preferência duplo, para proteger seu anonimato. Para saber se um apelido já existe no blog, consultem digitando o apelido na barra de pesquisar 😉 Escolha um apelido bem diferente para assinar a história e para ser identificada em futuros comentários.

Não troquem informações pessoais, incluindo e-mails. Se notar qualquer atividade estranha, comunicar aqui ♥

Aqui pode postar causo?

Aqui pode comentar causo?

Colaborem e nos ajudem a manter o blog sempre funcionando!

5 comentários em “Envie seu causo aqui

  1. Recado da moderação:

    NÃO COMENTEM OS CAUSOS AQUI
    NÃO COMENTEM OS CAUSOS AQUI
    NÃO COMENTEM OS CAUSOS AQUI
    NÃO COMENTEM OS CAUSOS AQUI , porque dobra nosso trabalho. Brigada, de nada.

    E, POR FAVOR, INVENTEM UM APELIDO!!!Não postem causos com o nome real, adotem um apelido e fiquem sempre com ele.

    1. moderadora , fiz um comentario e não percebi e inseri meu nome verdadeiro já faz um tempo , como excluir ? Desculpe não achei por isso mandando essa mensagem

      1. Olha, verifiquei e você usa mais de 5 apelidos…(Aninha, Maria Alice, Diferentona, A de Amor, Ana Maria, Maria Rita do Amor). Favor se decidir por um só, porque a regra vale pra todo mundo ok?

  2. Olá meninas, estou desesperada, sou casada há 6 anos e junto há 8 anos. No começo do meu namoro tudo era lindo, minha sogra e cunhada me tratavam bem, era uma alegria ir pra casa dela. Eu tinha um excelente emprego que me proporcionou uma situação financeira confortável. Meu esposo ajudava a mãe financeiramente. Quando noivamos, tudo mudou, a sogra começou a jogar indiretas pra mim, e quando saí do emprego cheguei a ouvir insinuações de que eu era interesseira. De uma hora pra outra mudou, começou a me deixar de lado e fazer questão de demonstrar isso quando recebia visitas. Até que chegou nosso casamento. Ele ve de parar de mandar dinheiro pra ela e acho que isso foi a gota d’água pra ela. Tivemos nossa primeira briga, não aguentava mais ser distratada quando ia pra lá, eu que sempre a ajudei e falava que o filho dela tinha que ligar todo fim de semana, se eu não falasae ele não ligava. Fiquei mal, depois de 1 ano fizemos as pazes. Até que começou tudo de novo, mas agora a cunhada também, era grosseria atrás de grosseria. Nossa foram tantas coisas, tantos fora de graça, até que cortamos relação, ele não tinha tanta proximidade com ela devido ao gênio e jeito mal-educado dela. Continamos indo lá por causa da mãe dele, mas toda vez era horrível, comecei a me sentir mal lá dentro, e toda vez voltava chorando pra casa, porque ela fazia ou falava alguma coisa. Até que numa noite fria, ela virou e disse que só tinha um lençol de solteiro pra emprestar pra gente dormir. Meu marido ficou extremamente sem graça, e dormiu a noite toda descoberto pra que eu pudesse me cobrir. E mais uma briga teve depois disso, falei tudo que estava acumulada ao longo de 8 anos. E nada adiantou ela continuou dizendo que ele mudou depois do casamento, tudo foi por causa do casamento. Mas ele jura pra mim que sempre foi pouco lá, mesmo antes de me conhecer. Depois disso, não voltei mas lá, descobri que ela faz “coisas” pra nos separar, e diz que o filho dela vai ficar com ela e não comigo, tive um filho e ela não pergunta do neto e nem faz questão de visitar. Nem ela e nem a tia, me sinto triste porque minha família recebeu tão bem ele, e eu não fiz nada pra ser tratada assim. Já chorei lor diversas vezes, e atualmente isso tem prejudicado nosso casamento porque, toda vez que ela liga acabamos brigando. Me ajudem, o que devo fazer? Nunca mais ir lá é a saída? (Moramos em estados diferentes) Não quero esse tipo de pessoa perto do meu filho.

  3. Olá pessoal,

    Dando uma olhada na internet sobre o assunto “quando ele volta pra casa da mãe”, “Complexo de Jocasta”, “Complexo de édipo”, eis que encontrei esse site…. minha história não é tão diferente das que encontrei por aqui, e com isso me senti até aliviada depois que encontrei esse Blog.Foi quando percebi de fato que eu não estava “louca”, “possessiva”, “ciumenta”, e que muitas mulheres passam pelo mesmo que passei…

    Então…

    Vou tentar “resumir” para vocês!

    Namorei um rapaz por 3 anos e fiquei noiva em Dez/16. Antes disso, meu namoro foi um pouco conturbado, mas o amava, éramos felizes. E porque conturbado então? …. SOGRA.
    Bom… filho único, muito bem sucedido na carreira, muito inteligente, nunca conheci alguém tão perseverante como ele e um gato (quem não quer um desses?). A mãe e o pai são separados, e sempre o disputaram na justiça. Hoje ele tem 28 anos, mas desde bebê o pai teve a guarda dele, e aos 15 ele voltou a morar com a mãe, até que….. me conheceu! Viveu com a mãe dele até me conhecer e aí o caos estava formado! A mãe surtou logo após começarmos a namorar, ela foi morar em outro estado, o deixou em um apartamento sozinho, mas como era ele quem pagava as contas, não teve dificuldades em se bancar. Ela ficou uns 6 meses em outro estado, o atormentava demais e a mim também, mentiu até sobre um “sequestro” e tivemos que ir até lá para traze-la de volta! Desde então percebi que ela não era nada “normal”.
    Ele muito romântico, muito carinhoso, no início era até um pouco sufocante, muito carente, falava muito da mãe, sofreu muito quando ela o deixou e ela….. bom, ela comigo…. sofri demais, pois ela falava muito mal de mim, que eu tinha roubado ele dela, falava nomes absurdos com outras pessoas ao meu respeito, inventava que eu tinha doenças, etc, etc, etc. SOFRIMENTO foi o período que ela esteve longe e perto, até eu conseguir me blindar das “agressões” dela. Quando ela voltou então, passei mais lutas, mas sempre tentei me aproximar dela com meu cuidado e carinho. Aos poucos fui mostrando a ela que eu não queria “roubá-lo” dela, mas que queria ter uma família, todos unidos, dar netos a ela….. TENTEI de tudo.
    Até que ELE começou a falar em casamento no nosso 2° ano de namoro, eu tentei frear ele diversas vezes, dizendo que não estava na hora, que eu precisava me estabilizar no emprego e ele sempre muito empolgado com nossa união. Eis que eu começava a acreditar que ele de fato estaria ” juntando dinheiro” para nosso casamento mesmo…. meses se passaram e eu comecei a sonhar de fato com a cerimônia (que segundo ele fazia QUESTÃO de pagar). Final do ano de 2015 ele com uma semana,fez a compra um apartamento pra mãe com “o dinheiro que era nosso” e não me disse nada. Somente na semana da compra ele havia dito que tinha mudado de ideia e que a mãe não teria um teto fixo para morar. Decepção, tristeza, tudo quanto é sinônimo eu poderia colocar aqui se ele não tivesse me “iludido” com o nosso casamento. Lindo demais um filho dar para a mãe um lar e tudo do bom e do melhor como ele, mas nesse caso, o “sonho” dele inicialmente foi de se casar comigo.

    Bom… esse teria sido meu susto inicial.

    Depois consegui conviver com ela um pouco mais próxima e e aí sim comecei a reparar mais a fundo no transtorno mental dela, e comecei a me questionar se ele também não teria uma certa “fixação” pela mãe. Ele ainda morava sozinho (fato é que quando ele morou sozinho vivemos uma vida de pré casado e muito bem) e a mãe se adaptou muito bem ao seu novo apê.

    OK… comecei a perceber que ela andava nua na frente dele, ele também trocava de roupa na frente dela, a casa dela era uma bagunça, roupas espalhadas pela casa, cachorros brigando o dia todo, ela acumula vasilhas de plástico, só falta dar comida na boca dele, serve a todo momento suco, balas, comida, tem fotos dele espalhada pela casa toda, pôster de época de colégio dentro do BANHEIRO (?) nada organizada, quando estávamos juntos ela fazia de tudo para tentar chamar sua atenção, me dava cada olhar que me dava medo, fazia de tudo para beijá-lo o tempo todo, idolatrá-lo…. loucura?! e eu nesse “meio”! Pequeno detalhe: ninguém gosta dela… a família toda mantém certa distância dela.Meu Deus socorro né?!

    E ele nisso tudo? Bom… quando ele morava sozinho, ele me dizia que jamais conseguiria morar com a mãe novamente, que não tinha condições e que lá parecia um “hospício”! Pensei.. ufa! ele não é como ela e tem noção que a mãe não é nada normal.

    Comecei a conversar com ele sobre a possibilidade de levar a mãe no psiquiatra para a gente saber como lhe dar com ela. Ele “enlouqueceu” dizendo que eu não gostava da mãe dele que eu achava ela “doida”, sempre contra mim… sempre a defendia dizendo que se tivesse que abir mão de mim abriria, dizia que precisava de uma pessoa para apoiar ele com a mãe (detalhe que eu o ajudava com ela, mas era um relacionamento dos dois meio bizarro). Ele trocava de roupa na frente dela e dizia que “não tinha nada a ver”,e a mãe comentava de seu órgão genital comigo (??????) LOUCURA! Foi quando meu pisca alerta acendeu definitivamente!!!!

    Até que ele foi transferido a trabalho há uns 100 Km da nossa cidade…

    Sentindo-se muito só ele me convidou para casarmos no cartório e ir morar com ele nessa cidade, disse também que em interior eu teria mais chance de arrumar um emprego na minha área (sou enfermeira), e realmente pensei nessa possibilidade. Passamos o carnaval desse ano todo na cidade, olhamos apartamento, móveis, tudo…. e minha felicidade? Eu estava MUITO feliz! Quando retornamos para nossa cidade…. 2 dias depois ele mudou de ideia, dizendo que era melhor fazermos um “teste” antes de ir no cartório.

    Gente… meu mundo CAIU novamente né! Ia morar em uma cidade pequena, com o homem que AMO longe das nossas famílias, mas se eles precisassem estaríamos bem perto, sem contar os finais de semana que estaríamos sempre aqui. Fiquei muito desiludida novamente e ele chegou a alegar que não entendia o porque eu queria casar no cartório, e se não era para se fosse o caso de nos separarmos eu “tomaria” o apartamento da mãe dele!!!!!! Foi aí que eu deveria ter rompido com ele, mas dei um último voto de confiança pra ele. Nesse momento, minha família já tinha percebido que ele não queria casar, meus pais ficaram bastante decepcionados, já tinham notado que a família não era NADA NORMAL, mas a “boba” aqui ainda insistiu um pouco mais. E a mãe dele? AMOU, claro! Até de interesseira fui chamada! E ele em certas falas repetia isso…. eu cada vez mais triste…. com essa relação BIZARRA DOS DOIS E EU NESSE MEIO…

    Viajei com os dois pra praia em Abril… Meu Deus… ela só via ELE na praia, só queria tirar foto com ele, nadar com ELE, eu era uma mosca pra ela.Ela chegou a pedir para quando eu entrasse no banheiro, que eu deixasse a porta aberta para se caso o filho dela quisesse entrar (hein e MINHA privacidade????). Foi quando EU então surtei pela primeira vez depois de 4 anos (falei que ia voltar pra minha cidade e que era pra ele me deixar na rodoviária, disse que era para os dois viverem juntos…. achei que ia ter um AVC de tanta raiva que fiquei com a humilhação dela e por ele ter defendido ela em um belo dia de praia em que só os dois conversavam… comprei passagem e tudo e ele não deixou eu ir embora da praia. Voltamos pra minha cidade, e…..

    Em junho, o pai dele solta a “bomba” de que quando mais nova, a mãe teve uma suspeita de Esquizofrenia.Os médicos nunca fecharam o diagnóstico, mas segundo o pai, estava contando no intuito de ajudar (ou atrapalhar né?) Até hoje não sei ao certo. Meu noivo que continuava nessa outra cidade a trabalho, “surtou”, pediu transferência rapidamente para cuidar da mãe e nesse mesmo mês estávamos começando a bolar o casamento, estávamos também fazendo o curso de noivos (requisito da minha igreja para casar).

    A mãe que eu sempre desconfiei que tinha um transtorno mental, mas que sempre viveu bem mesmo com suas limitações, começava a se fazer de dependente dele ainda mais… e eis que ela o convenceu de voltar a morar com ela! Casaríamos em abril/maio do ano que vem (2018) …. durante esse curso de noivos, percebia ele cada vez mais desanimado, sem vontade de olhar nossas coisas, e ele dizia que ” estava juntando o dinheiro novamente” mas nunca soube ao certo quanto teria guardado, (já tinha a quantia necessária para fecharmos várias coisas, mas eu que tinha que perguntar), o via correndo de um lado pro outro com a mãe no médico, comprando coisas para os dois, para a casa “deles” (antes só chamava de “a casa da minha mãe”, recentemente denominou de “sua casa” também).

    Pessoal, final da minha história? Terminei meu noivado há 2 semanas, ele nem titubeou muito, só disse que se sentia “injustiçado” com minha atitude, que eu “desisti” dele, que eu não “esperei ele amadurecer”, que a mãe dele é “MUITO DOENTE” e precisava MUITO de ajuda( o diagnóstico da mãe nem foi Esquizofrenia, mas Transtorno Bipolar e ansiedade crônica). Tenho pra mim que tem muito poder de dissimulação dela também! Mas… o que me preocupou foi ele e a relação com a mãe, a sua preocupação e sua “desculpa” foram de que a mãe precisava MUITO dele! E que eu não entendia a relação dos dois, que eu era a ciumenta e possessiva! Pra mim o homem que quer casar está feliz, quer montar sua casa, compra os móveis, olhar apartamento…só via desânimo no olhar dele comigo.

    Eu só vi brilho no olhar dele quando percebi que ele estava feliz em “voltar pra casa da mãe e pro seu colo” e casar definitivamente estava longe de acontecer….a mãe era sempre a coitada de toda a vida dele. Até dizer que se em uma situação ele tivesse que escolher ficar só cuidando da mãe e abrir mão de mulher, que ele o faria…. isso só ajudou na minha escolha… triste mas foi….

    Tomei uma atitude de coragem, o amo demais ainda, mas quero muito ser feliz com alguém decidido, seguro de si, não uma pessoa em que TUDO é a mãe, suas preocupações só giram em torno da comodidade dela, como será a vida dela, suas inseguranças giram em torno dela….e a vida dele? Ele não se preocupa com ele! SÓ ela, se mata de trabalhar por ela.

    Tem o ditado que o bom filho é bom marido, ele foi um bom noivo pra mim também, mas em vários momentos ele tentava me colocar como dependente dele demais assim como faz com a mãe… me humilhava em certas ocasiões porque ele tem condição financeira boa, me deixou muito insegura com as atitudes dele com o casamento…. e ai eu decidi ser FELIZ!

    Espero que meu testemunho aqui ajude muitas mulheres a não embarcarem em umas roubadas que a vida nos coloca…. já via lá na frente, eu com ele em casa e a mãe querendo atenção, querendo viajar com ele, sair com ele, fazendo dele uma marionete….e ele sempre cedendo… que triste!

    Ser FELIZ, esse é o sentido da vida!

    Vida que segue!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s